Resenha #105 Jardim de Inverno

Autor: Kristin Hannah
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384 páginas
Classificação: 5/5 estrelas

Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas.

A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história.

Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são.

A história que sua mãe conta é como nenhuma outra já ouvida por elas antes — uma história de amor cativante e misteriosa que dura mais de sessenta anos e parte da Leningrado congelada e devastada pela guerra até o Alasca, nos dias atuais. A obsessão de Nina por esconder a verdade as levará a uma inesperada jornada ao passado de sua mãe, onde descobrirão um segredo tão chocante, que abala a estrutura da família e muda quem elas acreditam ser.

Kristin Hannah não erra.

Demorei bastante para ler este livro pois os temas que a autora trabalha costumam ser bastante impactantes pra mim e este não foi o oposto.

Sempre que falarmos da segunda guerra será superficial, pois creio que todas as atrocidades que essa guerra foi capaz de fazer, será impossível ser relatado.

Um livro muito bem pesquisado para ser criado, nos faz mergulhar num conto não tão de fadas assim.

A princípio confesso que achei bem maçante, porém, com o desenvolver da narrativa, você consegue entender perfeitamente o porquê daquilo tudo. É necessário que o leitor tenha essa impressão negativa sobre os personagens para que ele chegue até o final entendendo perfeitamente os motivos de cada uma.

Por muitas vezes, o gosto amargo dessa guerra chegou até minha boca e por mais que este livro seja uma ficção, saber que isso de fato aconteceu é apavorante.

Se livrar de um trauma como estes é impossível e por isso Anya merece todo nosso respeito e consideração.

A estrutura linear composta nesse livro é extraordinária. Eu ficava tentando fazer com que aqueles anos de sofrimento fossem abreviados e isso me fez pensar que, se para mim já era difícil ler aqueles relatos, imagina para quem os viveu?

Isso é algo que somente bons autores conseguem extrair de seus leitores.

O bom é que esse amargo não dura muito tempo e o final nos traz revelações e o açúcar que precisamos para aquecer o coração. E isso, a autora consegue fazer com maestria.

    Quem sou eu...

    Mary Ellen

    "O conhecimento é algo que ninguém pode tirar de você" É isso que eu busco nos livros. Viajar sem sair do lugar, sofrer, sorrir e sonhar. São coisas que você pode fazer ao mesmo tempo, e que você só encontra nos livros. Mãe, esposa, amiga e sonhadora!

    Leia mais...

    Facebook


    Instagram

    Skoob