Resenha #22 LIGAÇÕES

BlogLido_Instagram  (22)

GEORGIE MCCOOL sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura.
Talvez sempre esteve em segundo plano.

Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças.

Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo.

Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer…
Será que é isso mesmo o que ela deve fazer? Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?

George é uma personagem atípica, notamos que ela faz o papel do homem na trama. Ela trabalha fora, chega tarde e nunca tem tempo para as filhos e pro marido. Sua família, mãe e irmã ganham a história em certo momento e Seth, seu melhor amigo, não se decide. Enquanto eu lia, eu ficava me perguntando se todas aquelas cobranças que ela estava se fazendo, também seria feita por um homem! Não quero parecer polêmica, mas tudo isso é um tanto questionável. O que é bacana também, pois ficar em casa e cuidar de tudo que ela representa é sempre aplicável as mulheres e ver isso de outro campo de visão é bem interessante. Tudo bem, tudo deve ser na medida, nem mais nem menos, e é o que se conclui na evolução do livro.

Concluindo: Comprei este por indicação de blogueiras que acompanho e confesso que não foi bem o que eu esperava. Ele é um livro consistente e maduro. Para mim que sou casada, muitas coisas me pareceram familiares, no entanto achei fantasioso demais e sem muitos esclarecimentos. Cheguei ao fim me perguntando: – É sério que acabou?

Esperava pelo menos mais alguns capítulos que me desses algumas respostas. No entanto, não é um livro ruim. Tem muitas citações bacanas que nos fazem dar uma refletida.

 – Como soube que ele era o cara?

– Não é bem assim. Você vai ver. É mais, bem, você conhece a pessoa, se apaixona, e torce para que essa pessoa seja a certa. E ai, em determinado momento, você tem que apostar suas fichas. Tem que fazer esse compromisso e torcer para dar certo. 

Editora Novo Século, 302 páginas

    Quem sou eu...

    Mary Ellen

    "O conhecimento é algo que ninguém pode tirar de você" É isso que eu busco nos livros. Viajar sem sair do lugar, sofrer, sorrir e sonhar. São coisas que você pode fazer ao mesmo tempo, e que você só encontra nos livros. Mãe, esposa, amiga e sonhadora!

    Leia mais...

    Facebook


    Instagram

    Skoob