Resenha #23 A VOZ DO ARQUEIRO

BlogLido_Instagram  (23)

Bree Prescott quer deixar para trás seu passado de sofrimentos e precisa de um lugar para recomeçar. Quando chega à pequena Pelion, no estado do Maine, ela se encanta pela cidade e decide ficar.

Logo seu caminho se cruza com o de Archer Hale, um rapaz mudo, de olhos profundos e músculos bem definidos, que se esconde atrás de uma aparência selvagem e parece invisível para todos do lugar. Intrigada pelo jovem, Bree se empenha em romper seu mundo de silêncio para descobrir quem ele é e que mistério esconde.

Alternando o ponto de vista dos dois personagens, Mia Sheridan fala de um amor que incendeia e transforma vidas. De um lado, a história de uma mulher presa à lembrança de uma noite terrível. Do outro, a trajetória de um homem que convive silenciosamente com uma ferida profunda.

Archer pode ser a chave para a libertação de Bree e ela, a mulher que o ajudará a encontrar a própria voz. Juntos, os dois lutam para esquecer as marcas da violência e compreender muito mais do que as palavras poderiam expressar.

Indicação de uma colega, A voz do arqueiro não estava na minha lista de leitura, mas depois de dois livros mais ou menos, resolvi dar uma oportunidade pra ele e me surpreendi. Se não fosse pelas minhas pausas durante o dia, eu teria lido em poucas horas. Que livro sensacional, intenso e perturbador. Ele não é só um romancezinho água com açúcar. É muito mais que isso. Ele é carregado de drama e traz consigo tragédias, dor, perda, solidão e superação.

Bree teve que sair da sua cidade natal para poder juntar os pedaços da sua vida depois que seu pai foi assassinado, em uma nova cidade, seu caminho se cruza com o de Archer, que também carrega consigo um drama ainda maior. No entanto, Bree é uma mulher impetuosa, quer por que quer descobrir quem é aquele estranho e sai em busca de informações. Tudo é muito inconclusivo quando se trata dele, até que ela resolve ir pessoalmente conhecer aquele rapaz tão misterioso e diferente, porém o que ela encontra é uma pessoa solitária e introvertida.

Certa de que vai tentar ajuda-lo a interagir, o que presenciamos é um encontro de almas. A sintonia entre os dois é instantânea. A partir dali, começa uma tensa e incrível história de amor. O livro tem uma leitura fluida, não tem muita enrolação e a intensidade com que os fatos vão acontecendo, nos deixa vidrados. E quando você acha que tudo acabou, é aí que a nos enganamos. Tem muita coisa ainda por vir. E como um temperinho, temos umas partes picantes essenciais.

Concluindo: Com certeza esse entrou pro meu hall de queridinhos. Como é bom ser surpreendida. O que eu aprendi com ele é que muitas vezes, passamos pela vida das pessoas e não temos sequer a sensibilidade de enxergar o sofrimento daquele que está tão próximo, é necessário que fiquemos atentos a isso.

Preparem-se, este livro é uma leitura essencial e excelente para aquecer nossos corações e outras coisas mais neste inverno.

Editora Arqueiro, 324 páginas

    Quem sou eu...

    Mary Ellen

    "O conhecimento é algo que ninguém pode tirar de você" É isso que eu busco nos livros. Viajar sem sair do lugar, sofrer, sorrir e sonhar. São coisas que você pode fazer ao mesmo tempo, e que você só encontra nos livros. Mãe, esposa, amiga e sonhadora!

    Leia mais...

    Facebook


    Instagram

    Skoob